domingo, 25 de octubre de 2015

DANIELA STORTO [17.278] Poeta de Brasil


DANIELA STORTO

(São Paulo, Brasil 1970)

Estudió Psicología. Inédita en libro, sus poemas fueron publicados en las revistas Inimigo Rumor  y  Quimera.

Nascida em 1970, em São Paulo, Daniela Storto é psicóloga de formação, hoje mora no Rio de Janeiro e trabalha com educação de crianças, ´crianças pequenas´, como acentua; assim como também acentua que é mãe de dois filhos. E uma fala de Daniela me salta ao olho, uma fala que passa pela simplicidade de seu pensamento acerca do poema como erro, como aquilo que compõe o erro e, principalmente, numa expressão-limite ao que paira sobre o poema: o ´não sei bem´, que me parece ter a ver com ´qual o lugar do poema´.
Diz ela: ´Percebo que durante algum tempo escrever poemas me servia para expressar o que eu vivia e sentia e ao mesmo tempo para me livrar dessas coisas. Pois no poema eu dizia, mas modificava, escondia e disfarçava. Talvez seja assim até hoje, não sei bem. Mas agora creio que também escrevo para me desviar das preocupações cotidianas, para inventar.´ 



De Heloisa Buarque de Hollanda 
Otra línea de fuego - Quince poetas brasileñas ultracontemporáneas. 
Traducción de Teresa Arijón. Edición bilingüe. 
Málaga:  Maremoto;  Servicio de Publicaciones,
Centro de Edciones de la Diputación de Málaga, 2009.  291 p ISBN  978-84-7785-8


Un día

Secos mis ojos.

(Y copas).
Lo escuchaba.
(Compuesto).

Veía expresiones y gestos,
desnudo significado.
(Las palabras visten ).

Moviéndose
agudo

cuerpo de él
tocaba el aire,

yo, sí, aérea.




Um dia

Secos meus olhos.
(E copos).
Escutava-o.
(Composto).

Via expressões e gestos,
despido significado.
(Palavras são vestes).

Movendo-se
agudo
corpo dele
tocava o ar;

eu, sim, aérea.



Copa Lord

Cuando
ella
pasa
El mendigo
mira

Acompaña su movimiento sobre la calzada

Llama

Él
la reconoce

Huele
su alma

Alma plena de olores indeseables



Copa Lord

Quando
ela
passa
O mendigo
olha

Acompanha seu movimento por sobre a calçada

Chama

Ele
a reconhece

Cheira
a sua alma

Alma recheada de odores indesejáveis



Éxtasis

Línea irregular parte la imagen al medio, claro y oscuro.
De un lado el mar y del otro la arena.
Casi sereno. Mientras tanto sé,
después de la arena está la ciudad grande y agitada — gente, trabajo,
tráfico y miseria.

En la otra dirección crecen y crecen las olas, en profundidad y altura.

De vuelta, percibo niños jugando en el agua, pobres y desnudos,
y pájaros posados en el suelo granuloso, buscan alimento.

Hay más. Mareas que se suceden, lentas, esporádica vegetación y algún
resto de basura.

Luego llegará alguien más, los pájaros se habrán de dispersar, tímidos,
los niños no se darán cuenta.
Será el fin de la tarde nublada,

y, demasiado tarde, no avistaremos ninguna forma, apenas sospechado
movimiento,
tal vez un viento frío, tal vez las almas sin sosiego.


Estase

Linha irregular parte imagem ao meio, claro e escuro.
De um lado é o mar e do outro a areia.
Quase sereno. No entanto sei,
depois da areia fica a cidade grande e movimentada — pessoas, trabalho,
tráfego e miséria.

Na outra direção crescem e crescem as ondas, em profundidade e altura.

De volta, percebo crianças brincando na água, pobres e nuas,
e pássaros pousados no chão granuloso, procuram alimento.

Há mais. São marolas que se sucedem, lentas, esporádica vegetação e um  
resto de lixo.                                                        ~

Logo chegará mais alguém, os pássaros vão se dispersar, tímidos, as
crianças não vão notar.
Será o fim da tarde nublada,

e, tarde demais, não enxergaremos qualquer forma, apenas suspeito
movimento,        
talvez um vento frio, talvez as almas sem sossego.








No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada