martes, 2 de septiembre de 2014

PEDRO DU BOIS [13.150]


Pedro Du Bois 

Balneário Camboriú, Santa Catarina, Brasil
Poeta e contista.



OUVIR
 
Ouço o barulho
alguém precede ao tempo
e o entulha
com obras imaginárias

a atmosfera se encarrega
da oxidação do fato

ouço o grito do pássaro
e alguém prossegue seu trabalho
em obras imaginadas

a praia
salitre sobre a área
se encarrega da posteridade.

 


OIR
 
Oigo el barullo
alguien precede al tiempo
y lo abarrota
con obras imaginarias

la atmósfera se encarga
de la oxidación del hecho

oigo el grito de pájaro
y alguien prosigue su trabajo
en obras imaginadas

la playa
salitre sobre el área
se encarga de la posteridad.

Traducción: Alberto Acosta





RESTOS E SOBRAS

Nada resta
do destino
vendido em pouco
peso
preso
aos compromissos

o ressurgido grito
se ausenta

a anomalia das vertentes
secam ventres
e se despedem em luzes

o medo esconde a face 
e as lágrimas secam
ao vento.





RESTOS Y SOBRAS

Nada resta
del destino
vendido en poco
peso
preso
a los compromisos

el resurgido grito
se ausenta

la anomalía de las vertientes
secan vientres
y se despiden en luces

el miedo esconde la cara 
y las lágrimas secan
al viento.

Traducción: Alberto Acosta




CENTRO
 
Sendo centro sofre 
as modificações: raça submetida
ao cansaço no trabalho,
o espaço invadido por insetos,
o pedaço consumido pelo inimigo, 
a vontade insaciável de estar 
presente, a súbita morte.

Perde a identidade caótica 
de ser humano: desconhece
a dimensão arbitrária onde se encontra.

Sendo centro, não percebe as bordas
e vaga o vazio onde se incomoda.

Sobre o universo pairam dúvidas
de acobertamentos: centro
distanciado em tempos.





CENTRO

Siendo centro sufre 
las modificaciones: raza sometida
al cansancio en el trabajo,
el espacio invadido por insectos,
el pedazo consumido por el enemigo, 
el deseo insaciable de estar 
presente, la muerte súbita.

Pierde la identidad caótica 
de ser humano: desconoce
la dimensión arbitraria donde se encuentra.

Siendo centro, no percibe los bordes
y vaga por el vacío donde se incomoda.

Sobre el universo planean dudas
de encubrimientos: centro
distanciado en tiempos.

Traducción: Alberto Acosta





LUGARES

Evito os lugares
altos

busco na planície a certeza
de estar cercado

conheço da terra a altura
necessária ao estabelecimento
dos limites

no alto o pássaro transita
em declínio. No chão a fera
ostenta a vontade

- pertenço ao solo inconcluso
das certezas incomunicáveis.





LUGARES

Evito los lugares
altos

busco en la planicie la certeza
de estar cercado

conozco de la tierra la altura
necesaria para el establecimiento
de los límites

en lo alto el pájaro transita
en declive. En el suelo la fiera
ostenta la voluntad

- pertenezco al territorio inconcluso
de las certezas incomunicables.

Traducción al español: Ana Muela Sopeña






TER

Tem o motivo: livro marcado
na página do meio. Metade
devorada em traço. O sinal
sublinhando a frase. Eu te amo
diz o personagem. E tu morres
em mim. Desnorteado tem o ensejo
de se fazer longe no estático
monumento aos mortos. O amor
avança páginas de palavras
na dominação dos personagens.
Tem a razão elencada em cisma.
Sismo: a gradação da tragédia.




VÃO

Enquanto sonho esperanças vãs
desencontro o árduo caminho
além da curva derradeira

debruçado ao restante da paisagem
anoiteço sons desprestigiados

em sonhos determino o anárquico
senso dos encobrimentos.




PRIMEIRA VIAGEM

Faço as malas: papéis amassados
                         papéis rasgados
                        cópia autenticada
                       da certidão de ir embora
                      atestado de carreira
                     contra recaídas
                    tampões de orelhas
                   tesoura de unhas
                  o bigode raspado
                 no disfarce

estrago o papel da bala no fazer
o desenho inimaginável do barco

                   embarco e saio
                    atrás de mim
                     as malas estalam
                      em primeira viagem.





ARCABOUÇO

No arcabouço
destino
dias estruturados: sou trapezista
                              e me lanço
                              ao concreto
                              espaço

o arcabouço origina
a materialidade dos fatos

desatino a passagem
do corpo sobre o arame: vento
na minha ultrapassagem

no arcabouço remetido
aprofundo a voz
no dizer verdades.





VERDEJANTE

Verde consentido: árvores replantadas
e a folha retirada. O caderno guarda
a recordação do dia anterior: lembra
o verde acometido ao desespero. Ir
embora. Ser a notícia. O silêncio.

Acobertar a folha
esbranquiçada
em sua ilusão
derradeira.





ESPINHA

Retiro a espinha do peixe
              espinho a mão
              na flor
           o espinhaço quebrado
           ao assim mesmo
           das ordens desconstituídas.

Reprovo o pão ingerido
como providência na ânsia do ar
                              faltante.

(Do peixe o espinho retirado
 se aloja a contento: bastante
 para a sufocação).




EMBLEMÁTICO

Repito o lema em voz alta
reparto o tema em gritos
reconduzo o cego ao lado
na incerteza no caminho:

exijo a reposição da perda
nos desencontros repetidos
em palavras de recolhimento.





PARTIDA

O motor ligado
o câmbio
os pés deslizam pedais
                    de ir embora

a imagem retrovista
avisa da tristeza

o limpador do parabrisa
espalha lágrimas pelo caminho.






VOCÊ

Em esquinas diversas deixo
a minha vida. Tenho o bastante
de você: juventude e beleza na certeza
da permanência ao quebrar o destino
em mesmos trajetos. Repito.

Não choro as perdas:
há você e na sua presença
divido o tempo no espaço
permitido entre mãos e pernas.

Reflito nos carros em velocidades
inconsentidas a imagem de você: lustro
o espelho no derradeiro reflexo. Guardo
o pano na recordação de você.






SERES

Com o irmão troca palavras
senhas e sinais
criptografados em tempos idos

o irmão surpreendido
o irmão surpreso: o surto psicótico
                             no reconhecimento

o irmão vem de longe em visita
trazendo o passado entrevisto.

         Na mala repousa o cisco
         no olho do dia da partida.

Quebra o segredo
e deságua em abraços.


No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada